Selvagens à Procura de Lei fala de reaproximação com o indie em nova faixa lançada esse ano

Luca Moreira
9 Min Read
Selvagens à Procura de Lei

Um dos principais expoentes do rock alternativo nacional na última década, a Selvagens à Procura de Lei lança o clipe para seu recente single “Por Todo o Universo”. A faixa traz consigo uma profunda exploração das relações humanas e da passagem do tempo e ganha um registro guiado pela animação para a criação de um ambiente lúdico e mágico.

“Por Todo o Universo” se revela como um tributo não apenas às memórias compartilhadas, mas também a influências pessoais profundas. Rafa Martins (guitarra e vocal), Gabriel Aragão (guitarra e vocal), Caio Evangelista (baixo e backing vocal) e Nicholas Magalhães (bateria) trazem à tona uma conexão musical que evoca os sentimentos e experiências que moldaram sua trajetória como amigos e companheiros de estrada nesta canção mergulha nas complexidades de uma amizade duradoura que, apesar de ter atravessado diversas fases da vida, eventualmente se viu distanciada por circunstâncias imprevistas.

A sonoridade do single é uma interessante reviravolta para o grupo, marcando um retorno às raízes sonoras que caracterizaram seus primeiros passos na cena musical. Ao mergulhar em elementos que remetem à sua essência inicial, os Selvagens demonstram a versatilidade que os consagrou, expondo uma fluidez que abraça tanto os fãs de longa data quanto os novos ouvintes. A faixa vem na esteira da bem recebida “O Verão Passou, Mas o Sol Continua Aqui”, um indie rock otimista.

Com “Por Todo o Universo”, Selvagens à Procura de Lei soma a uma trajetória que possui quatro álbuns lançados e diversos singles, além de ter no currículo turnês internacionais e passagens por palcos como os festivais Lollapalooza 2014 e 2018 e Rock in Rio 2019. Depois de projetos pessoais de seus integrantes – como Rafa e Gabriel, que lançaram álbuns solo -, os Selvagens retomam seu som enérgico e poético, pulsante e lírico.

Como surgiu a inspiração por trás da música “Por Todo o Universo”? Qual foi o processo criativo para compor essa faixa tão especial?

“Por Todo o Universo” é uma ideia bem antiga de escrever sobre uma amizade de formação, que acompanhou em períodos chave e que, por vários motivos, houve um distanciamento. Então é esse olhar para um passado, mas com resquícios do momento presente.

O clipe de “Por Todo o Universo” é uma animação encantadora. Como surgiu a ideia de usar essa abordagem para representar a profundidade das relações humanas e da passagem do tempo?

A ideia desses dois singles que lançamos em 2023 foi de uma volta às raízes da banda em muitos sentidos, inclusive no modo “faça você mesmo” que tínhamos no início da banda. Então fazer esse tipo de material mais independente foi um caminho a ser seguido também. Fazer tudo num fundo verde foi legal, pois nunca experimentamos isso em videoclipes anteriores.

Em que medida as experiências pessoais e os laços de amizade entre os membros da banda influenciaram a criação dessa música?

Tanto “O Verão Passou” quanto “Por Todo o Universo” tem esse olhar para o passado, quase como se fosse um resgate, também, dos laços que nos unem à banda. Rola esse duplo sentido mesmo.

Com “Por Todo o Universo”, houve um retorno às raízes sonoras do grupo. Poderia nos contar mais sobre essa jornada de redescoberta e o que ela representa para a trajetória da banda?

É como voltar a fazer um som que temos muita intimidade. Tudo surgiu muito rápido e natural, muito fluido. É uma perspectiva boa e divertida sobre a banda nessa fase atual. Creio que um próximo disco vá nessa direção.

Qual é a mensagem central por trás da música? Como essa faixa se relaciona com a temática das relações humanas e a passagem do tempo?

“A vida é calma no olho do furacão” acho que é a frase que sintetiza bem. Quando estamos na fase adulta, com toda a rotina em nossa frente, e lembramos de nossas antigas amizades, é fácil sentir uma conexão apesar da distância e uma compreensão sobre esse distanciamento. É meio que aceitar a vida como ela é e ao mesmo tempo celebrar o passado.

Selvagens à Procura de Lei

O clipe apresenta uma narrativa de animação rica em detalhes. Como foi o processo de concepção desse visual e como vocês acreditam que essa animação complementa a música?

O diretor Roger Capone e eu fomos colecionando todo tipo de ideias do que poderíamos testar num fundo verde. Vale destacar também a arte da capa do single que usamos ao longo do clipe, feita pelo artista João Lauro Fonte.

Vocês mencionaram que o single vem após projetos pessoais de integrantes da banda. Como essas experiências individuais influenciaram o som e a composição de “Por Todo o Universo”?

Bom, para mim, após lançar “Rua Mundo Novo”, que tem aquela pressão de debut solo, foi bom me divertir com o rock dos Selvagens novamente. Acho que tem a sensação de reencontro com velhos amigos, onde a magia acontece com naturalidade e desapego. É um trabalho coletivo. Voltar de um lançamento solo dá um novo valor ao que é criado em conjunto.

Ao longo dos anos, a banda passou por diferentes fases musicais. Como foi o processo de unir elementos de suas jornadas musicais passadas com a proposta atual da banda nessa música?

Estamos sempre vestindo outras cores, por assim dizer. Mas creio que os lançamentos solos tenham tido esse sabor já de pisar em novos territórios, e, com a banda, precisávamos, então, de um chão, de algo mais sólido, pelo menos nesse momento. Então, foi bom deixar a coisa acontecer, em termos de composição e arranjos, do jeito que era nos primórdios: nos ensaios, e depois gravando tudo rapidamente, para captar esse espírito mais urgente de uma banda jovem que tem algo a dizer.

O clipe, dirigido por Roger Capone, é um visual cativante que acompanha a faixa. Como foi a colaboração com Capone para trazer à vida a essência da música em uma experiência visual?

O Capone tem uma experiência maneira com esse tipo de abordagem e esteve junto com a gente em outras situações: participou das filmagens do Ao Vivo Na Maloca Dragão, dirigiu o clipe de Solidão Me Levou e outras ações da banda. Então, depois de filmar, nos debruçamos em pequenos elementos da capa, efeitos diversos e por aí vai. Testamos muita coisa, cortamos, refizemos.

Considerando o lançamento de “Por Todo o Universo”, quais são os planos futuros da Selvagens à Procura de Lei? Há novos projetos ou direções musicais que a banda pretende explorar após este lançamento?

Ano que vem, estarei de volta em Fortaleza para que a gente possa mergulhar num mundo novo de letra e música e espero que a gente só saia de lá com um disco novo que tenhamos orgulho de lançar. Mal posso esperar esse momento.

Acompanhe Selvagens à Procura de Lei no Instagram

Share this Article