Eu Galhardo (Renan Yudi)

Eu Galhardo faz reflexão sobre o contexto da razão em novo single

Luca Moreira
8 Min Read
Eu Galhardo (Renan Yudi)

No universo musical, onde as experiências pessoais frequentemente transbordam em formas de arte, o artista conhecido como Eu Galhardo apresenta um convite íntimo à sua jornada criativa com o lançamento de “Certo Talvez”, seu mais recente single que promete uma profunda incursão em dúvidas e introspecções pessoais. A canção, que nasceu de um momento de reflexão com o violão nos primeiros anos dos anos 2000, chega agora às plataformas digitais, acompanhada da expectativa por um clipe que promete traduzir visualmente a carga emotiva e simbólica da música.

Guardada por anos a fio na memória do artista, “Certo Talvez” é o reflexo da evolução pessoal e musical de Galhardo, que escolheu compartilhar seu lado mais introspectivo sob o pseudônimo “Eu”, marcando um distanciamento de seu nome de batismo, Rafael, em favor de uma expressão mais genuína e direta de sua arte. Este lançamento não apenas segue os passos de suas obras anteriores, como “Olhe Só” e “Seja Luz”, mas também se destaca como uma de suas composições favoritas, entrelaçando a melancolia de questionamentos íntimos a uma melodia que captura a essência da dúvida entre o certo e o talvez.

A peculiaridade da produção de “Certo Talvez” reflete o processo criativo singular de Galhardo, com elementos como o beat e o bongô sendo concebidos separadamente, mas encontrando uma harmonia inesperada no resultado. A simbologia da maçã, elemento central tanto da música quanto do clipe, emerge como um poderoso símbolo das complexidades das relações humanas, indicando a promessa de uma obra que busca explorar as nuances da compreensão e da interpretação pessoal em meio a conflitos interpessoais.

Com a chegada de “Certo Talvez” e a antecipação pelo clipe correspondente, Eu Galhardo reafirma seu compromisso com uma arte que é tanto introspectiva quanto universal, convidando os ouvintes a uma jornada pelo labirinto de sentimentos e pensamentos que define a condição humana. Este lançamento não é apenas uma adição à discografia do artista, mas um marco em sua evolução pessoal e criativa, prometendo tocar os corações e mentes de sua audiência com sua honestidade e profundidade.

“Certo Talvez” é uma das suas composições favoritas. O que inspirou a criação dessa música e por que ela é tão especial para você?

“Certo Talvez” surgiu num momento de turbulência num relacionamento a época. Uma composição de mais de 20 anos quando eu começava a compor é que tem diversos momentos e caminhos harmônicos que até hoje eu não sei como cheguei

Como foi o processo de gravação de “Certo Talvez”? Houve algum desafio específico durante esse processo?

O processo foi durante a pandemia e ela foi tomando forma. Entender como seria a levada, a condução rítmica foi um desafio. A música não se repetia e contava a história dela de uma vez só. Ficava curta e resolvi fazer duas vezes o verso e o refrão repetido no final como uma mensagem de bandeira branca.

Você mencionou que a capa do disco carrega referências do clipe que será lançado em breve. Pode nos contar um pouco mais sobre a narrativa e os símbolos presentes nesse clipe?

A capa trouxe a reflexão sobre o tema do clipe. A maçã como personagem central representando a razão. Ao longo do clipe ela vai sendo mordida e vai acabando, sobrando no fim apenas o que se sente já q a razão acaba assim como a maçã.

Eu Galhardo (Renan Yudi)
Eu Galhardo (Renan Yudi)

Quais são os principais temas abordados em “Certo Talvez” e como você espera que o público se conecte com essa música?

Ela revela o quão profundo é o sentimento em uma relação e o quanto as intercorrências afetam o que se sente. Espero que possam se conectar com o desfecho, que valoriza o que se sente e não as causas das intercorrências.

Ao longo de sua carreira como cantor, músico, produtor e compositor, como você vê sua evolução artística ao embarcar neste projeto solo?

Eu sempre me cobro por não ter feito isso antes, mas logo percebo que o tempo em que as coisas aconteceram foi exato. Como me sinto hoje, mais maduro e certo do que quero enquanto artista, da maneira como desejo fazer e me expressar.

Você mencionou que “Certo Talvez” foi concebida enquanto dedilhava o violão no início dos anos 2000. Por que decidiu gravá-la agora, em 2019?

Essa canção sempre fez parte do meu repertório pessoal, em casa, nos meus momentos de introspecção. Sempre quis gravá-la, mas nunca parecia ser o momento certo. Ela, como algumas outras, estava esperando por essa oportunidade.

Eu Galhardo (Renan Yudi)
Eu Galhardo (Renan Yudi)

Como é o processo criativo de composição para você? Você costuma ter um método específico ou as músicas surgem de forma mais espontânea?

Não sigo muito uma regra. Geralmente, crio algo no violão e depois decido sobre o tema da canção. Mas às vezes, como em “Seja Luz”, a letra vem primeiro e a harmonia e a melodia surgem bem depois. Para mim, é importante estar conectado comigo mesmo e com o mundo ao redor para expressar de alguma forma em canções.

Além da música, você está envolvido na produção do clipe de “Certo Talvez”? Quais são suas expectativas para o lançamento do clipe?

Eu preparei um roteiro pela primeira vez, o que foi desafiador, mas também gratificante. Foi uma experiência nova transformar em filme algo que, até então, existia apenas para mim e em forma de canção. Espero que o clipe possa tocar as pessoas no propósito da canção.

O que os fãs podem esperar do seu primeiro projeto solo e quais são seus planos futuros na música como Eu Galhardo?

Meu desejo é que as pessoas se conectem, de alguma maneira, com as mensagens propostas em cada canção. Que possam refletir sobre seus processos pessoais e desfrutar, de algum modo, desse ponto de vista. Aspiro a expor as canções ao máximo, tocá-las ao vivo e celebrar com o maior número de pessoas possível. Que elas possam assistir aos shows de olhos fechados, olhando para dentro, sentindo e se deixando absorver.

Acompanhe Rafael (Eu Galhardo) no Instagram

TAGGED:
Share this Article