Alice Baltezam

Com filme nos cinemas brasileiros, Alice Baltezam fala sobre sua carreira, desafios e sonhos futuros

Luca Moreira
11 Min Read
Alice Baltezam

Com o recente lançamento do filme “Morando Com Meu Crush”, onde interpreta a mística Mirella, a atriz Alice Baltezam compartilha sua experiência e revela os bastidores desse novo projeto. Alice, que começou sua trajetória artística ainda criança em trabalhos publicitários, destaca como essas experiências iniciais moldaram sua disciplina e comportamento no set de filmagem.

Baltezam também fala sobre os desafios de interpretar a personagem Dalila no filme “Em Nome do Pai”, baseado em fatos reais, que lhe exigiu trazer à tona a profundidade e o sofrimento de uma história pesada. Atualmente, a atriz está cursando um workshop de Interpretação para TV e Cinema com o Diretor Diogo Ferraz, uma experiência que ela considera enriquecedora para seu desenvolvimento profissional.

Equilibrando uma rotina intensa que inclui cursos de interpretação, dança, técnica vocal, improviso, roteiro e inglês, Alice ainda encontra tempo para testes desafiadores, como um recente teste em inglês para um papel ainda não revelado. A atriz reflete sobre a importância do apoio de sua família e seguidores, que têm sido pilares fundamentais em sua jornada.

Baltezam, que já atuou como apresentadora mirim, relembra com carinho essa fase e reconhece a contribuição dessa experiência para sua carreira como atriz. Trabalhar com diretores renomados como Hsu Chien e Diego Müller também foi um marco importante, oferecendo-lhe valiosas lições e influências na construção de seus personagens.

Para o futuro, Alice Baltezam tem planos ambiciosos: deseja explorar a dublagem, teatro musical e enfrentar novos desafios na TV e no cinema, incluindo o desejo de interpretar uma vilã, papel que ela considera repleto de profundidade e complexidade.

 “Morando Com Meu Crush” foi lançado recentemente. Como foi a experiência de interpretar Mirella nesse filme?

Sim, “Morando com o Crush” estreou agora, dia 23 de maio, nos cinemas de todo o Brasil. E eu interpretei a Mirella e ela foi um presente, assim, muito grande pra mim, eu fiquei muito feliz com a personagem que eu recebi, porque a personagem, ela é toda mística, ela acredita em cristais, em signos, ela é toda ligada em energias, e o laboratório dela também foi muito divertido de fazer, porque eu tive que aprender a tocar dois instrumentos diferentes pra poder fazer nas cenas, então a Mirella, pra mim, ela é uma personagem incrível, apesar dela ter algumas coisinhas parecidas comigo, outras não, eu amei interpretar ela, ela foi realmente um presente pra mim, e é isso, eu acho, um pouquinho da Mirella, assim.

Você tem uma vasta experiência em trabalhos publicitários. Como esses trabalhos influenciaram sua carreira como atriz de cinema e TV?

Então, trabalhos de propaganda e publicidade eu já faço desde os 5 aninhos, bem pequenininha, e eu acredito que esses trabalhos, eles me ajudaram muito a ter uma noção, uma base de como me comportar com grandes equipes, do fato de saber esperar, de saber escutar, então eu acho que isso me ajudou muito mais pra frente, pra poder estar dentro de um set de filmagem, que é a mesma coisa, a gente tem que esperar pra gravar uma cena, a gente tem que escutar o que o diretor quer, então eu acho que os trabalhos me ajudaram bastante nessa questão de saber trabalhar nesses lugares.

Qual foi o maior desafio ao interpretar Dalila em “Em nome do Pai”, especialmente sabendo que o filme foi indicado a vários festivais de cinema?

O “Em Nome do Pai”, que é o filme que eu interpretei a Dalila, ele tem uma história muito pesada, é um filme baseado em fatos reais e eu acredito que o grande desafio de ter interpretado a Dalila seria trazer essa verdade em cena e mostrar o peso e o sofrimento que era conviver com tudo aquilo naquela época e enfrentar o pai dela e ver o que o pai dela fazia com a mãe dela. Eu acho que a história era muito pesada e o desafio era trazer todo esse peso e esse sofrimento para as cenas em si.

Você está cursando um workshop de Interpretação para TV e Cinema com o Diretor Diogo Ferraz. Como tem sido essa experiência e o que você espera alcançar com esses novos aprendizados?

Em questão de cursos, workshops, a gente brinca que a gente nunca para de estudar porque a gente sempre tem alguma coisa nova para aprender e a gente adora fazer workshops com diretores, diretores de elenco, porque cada um tem um jeito diferente de trabalhar. Então a gente gosta de conhecer todos para poder entender como cada diretor funciona. Então eu já fiz com o Felipe Ventura, com o Marinho, Luciano Baldan, muita gente, que eu não vou lembrar o nome de todo mundo. Mas é muito bom a gente estudar com várias pessoas diferentes.

Sua rotina é bastante intensa, com cursos de interpretação, dança, técnica vocal, improviso, roteiro e inglês. Como você equilibra tudo isso com sua carreira e vida pessoal?

A gente tenta separar um dia da semana pra cada atividade, então um dia pro curso de interpretação, outro dia pra dança, outro dia pro inglês, e também tentando deixar alguns dias livres pra gente poder passear em família, pra gente poder produzir conteúdo, pra mim poder estudar. É bastante coisa, mas no final tá tudo certo.

Alice Baltezam
Alice Baltezam

Recentemente, você fez um teste em inglês para um papel não revelado. Como foi essa experiência e como você se preparou para isso?

Foi muito legal para fazer esse teste em inglês. Quando eu recebi o teste, eu fiquei muito feliz. E por mais que eu tenha uma experiência com o inglês, eu mandei para o professor e falei assim, preciso de ajuda porque esse teste tem que sair lindo, perfeito. Então, a gente estudou cada palavrinha, cada frase para sair lindo e não era um monólogo, era um diálogo. Então, o professor gravou comigo. Ele também fez o outro personagem, me ajudou. E, infelizmente, é tudo sigiloso, então a gente não pode falar para onde foi o teste, para qual personagem foi o teste, por mais que eu quisesse muito falar.

Além de atuar, você já trabalhou como apresentadora mirim. Como foi essa experiência e de que maneira ela contribuiu para sua carreira como atriz?

Foi uma experiência muito boa para mim, também muito divertida. Eu apresentei um programa do SBT, que era local, no Rio Verde do Sul, que era o Masbá. E eu apresentei pontualmente algumas vezes. E foi muito divertido, porque eu já gravei no circo, eu gravei em hamburgueria, dentro de limousine. Eram umas matérias muito divertidas, muito loucas. E qualquer experiência na TV, eu acho que foi muito importante para mim.

Você mencionou que tem recebido muito apoio de sua família e seguidores nas redes sociais. Como esse suporte tem impactado sua jornada artística?

Eu acho que todo o apoio e suporte que a minha família me dá é a coisa mais importante em questão da minha carreira que eu tenho. A minha mãe, em ter largado tudo no sul e ter aceitado se mudar para São Paulo comigo. O meu pai de estar separado da gente, estar morando no sul sozinho e batalhando sozinho por tudo isso. E a minha família sempre abraçou muito a ideia do meu sonho e me apoiou muito. E os meus seguidores também. Eles são uns fofos, sempre me apoiaram muito e ficaram felizes com as minhas conquistas, como se eles fossem parte da minha família mesmo. E eu sou extremamente grata pela minha família e pelos meus seguidores, porque esse apoio é muito importante para mim.

Participar de produções dirigidas por nomes como Hsu Chien e Diego Müller deve ter sido enriquecedor. O que você aprendeu com esses diretores e como isso influenciou sua atuação?

Gravar com grandes nomes do nosso cinema brasileiro foi muito importante, principalmente para mim, que estou no início da minha carreira, foi maravilhoso, é maravilhoso ter gravado com eles. E eles me ajudaram muito, tanto o Diego na Dalila e o Shu na Mirella, porque eles sempre me incentivaram a buscar mais e a entregar mais os personagens e a mostrar um lado maior do meu personagem e mostrar onde ela podia ir, então eles foram extremamente importantes pra mim na construção dos personagens.

Quais são seus planos futuros na carreira de atriz? Existe algum projeto específico que você gostaria de compartilhar com seus fãs?

Projetos futuros: eu queria muito fazer um curso de dublagem para poder ter essa experiência. Também queria ter uma experiência no teatro musical e poder estudar um pouco mais sobre isso, pois acho bem interessante. Em relação à TV e cinema, quero muitos desafios. Gostaria muito de interpretar uma vilã, porque vilãs têm um peso incrível; elas são maravilhosas. Todos os desafios, tudo de mais louco e mais diferente, eu quero interpretar.

Acompanhe Alice Baltezam no Instagram

TAGGED:
Share this Article