Babi Muniz (Cláudio Logattho)

Babi Muniz relembra trajetória no “Pânico na Band” e fala sobre lidar com o assédio decorrente da exposição

Luca Moreira
5 Min Read
Babi Muniz (Cláudio Logattho)

A trajetória de uma figura pública nem sempre é um caminho linear. Para Babi Muniz, que ganhou destaque como panicat no “Pânico na Band”, a jornada foi repleta de desafios e mudanças. Desde sua participação no programa até os dias de hoje, ela enfrentou grandes obstáculos, incluindo a difícil tarefa de equilibrar a maternidade com uma carreira na mídia. Em uma entrevista exclusiva, Babi compartilha suas experiências, desafios e planos futuros, revelando como conseguiu superar cada obstáculo com determinação e perseverança.

Como foi sua trajetória desde sua participação como panicat no Pânico na Band até os dias de hoje?

Sempre trabalhei como modelo, mesmo antes de ser Panicat. Após minha saída em 2017, assinei com a Record e depois saí de lá também, mas sempre continuei trabalhando como modelo e influenciadora.

Quais foram os maiores desafios que você enfrentou ao longo da sua carreira na televisão e como os superou?

Tive vários desafios, mas o maior desafio, sem dúvida, é conciliar a maternidade e o trabalho. Pedro é muito pequeno, então acabo deixando muitos trabalhos e sonhos por conta do meu filho, porque sei que ele precisa de mim. Mas sou feliz assim, muito mais feliz com ele.

Além de sua participação no Pânico na Band, você teve experiências em outras áreas da mídia? Como foi essa transição?

Sim, sou cantora, DJ e atriz. A gente vai testando coisas que gosta e se identifica. Em quase todas, me saio muito bem. Quando entro em um projeto, me dedico 100%, estudo muito e treino até ficar boa. Sou muito teimosa, então se aceito fazer algo, é para valer.

Babi Muniz (Cláudio Logattho)
Babi Muniz (Cláudio Logattho)

Você mencionou ter feito parcerias de publicidade com várias marcas. Pode nos contar um pouco mais sobre essas colaborações e como contribuíram para sua carreira?

Sim, fiz com grandes marcas lançamentos de perfume, CS, Bio Ritmo! Algumas eu vou atrás e faço o convite, outras vêm atrás e me convidam. Quando se trabalha com uma marca grande, outras marcas grandes estão de olho. Isso é muito bom, porque agrega muito valor. Todo trabalho que faço, desde marcas menores até as maiores, é tudo pensado exclusivamente para cada uma, é feito com o coração mesmo. Eu amo.

Como foi sua experiência ao participar do concurso Miss Bumbum em 2011 e como isso influenciou sua carreira posteriormente?

Foi um convite muito especial e eu era muito nova, com uma vida muito simples. Não ganhei, mas valeu pela experiência. Conheci pessoas legais e foi um concurso muito comentado, então foi bom para mim.

Durante os anos em que esteve no Pânico na Band, quais foram os momentos mais marcantes para você e por quê?

Sem dúvida, quando me tornei Panicat de verdade e quando fizeram a primeira pegadinha que acabou me transformando na chorona do Pânico.

Babi Muniz (Cláudio Logattho)
Babi Muniz (Cláudio Logattho)

Sendo influenciadora digital, como você lida com a exposição na mídia, especialmente em situações que envolvem assédio? Acredita que a mídia deixa espaço para as celebridades respirarem?

Acredito que ainda as mulheres sofrem muito assédio, ainda existem muitos homens que não sabem o limite, e quando isso acontece, travo na hora, não sei reagir ou responder. Houve situações em que me senti mal, mas tento ignorar quando isso acontece. A mídia hoje em dia está dando mais espaço para ouvir as celebridades, e isso é muito bom.

Quais são seus planos e projetos futuros na televisão e na área de modelo?

Só posso dizer que coisas grandes vão acontecer este ano, segredo.

Você teve participações na música com alguns lançamentos. Como foi sua experiência nessa área e você pretende investir mais nesse campo?

Foi maravilhosa a experiência, me dediquei muito, cantei com Koringa, Loma, Nando DK… Tive bons professores de canto e piano. Mas não pretendo voltar a cantar.

Como você equilibra sua vida pessoal com a carreira na mídia, considerando a exposição e as demandas do trabalho?

Claro que tudo que faço terá algum impacto. Tento não mostrar toda a minha vida pessoal (pelo menos não tudo). Acredito que tudo tenha um limite, então eu separo até que ponto quero compartilhar com a mídia. Isso inclui a maternidade.

Acompanhe Babi Muniz no Instagram

TAGGED:
Share this Article