Pesquisa revela visões tradicionais sobre constituição das famílias e o papel do homem e da mulher na sociedade brasileira

Luca Moreira
5 Min Read

Estudo da consultoria Bloomers, inspirado em filme de 1902, aponta o conservadorismo dos entrevistados sobre a composição das famílias e do papel das mulheres na sociedade

Pesquisa realizada pela Bloomers, consultoria que atua no desenvolvimento de marcas, culturas e negócios, apontou que muitos brasileiros e, em especial os homens, possuem visões muito tradicionais sobre a constituição de famílias e sobre os papeis dos homens e das mulheres na sociedade. Realizado com 470 pessoas entre 16 e 54 anos, levantamento destaca como 62% dos homens e 43% das mulheres entendem que uma família só pode ser composta por pai, mãe e filhos. Além disso, 31% dos homens creem que as mulheres não devem ter uma carreira ou que devem ter uma carreira, mas que seus filhos, maridos e casas devem ser prioridades. Em contraponto, 40% das entrevistadas disseram estar pouco ou nada otimistas com o futuro das mulheres.

Nesse sentido, 50% dos homens e 60% das mulheres acreditam que a sociedade brasileira poderia valorizar mais o papel pessoal e profissional das mulheres. Porém, ao serem perguntados de forma mais enfática se há desvalorização, diminuição e discriminação do papel das mulheres na sociedade, apenas 16% dos homens e 29% das mulheres concordaram com essa afirmação. Para além disso, 9% dos homens (e 0% das mulheres) ainda acreditam que o homem deveria ser mais valorizado na sociedade.

Tanto homens quanto mulheres também ressaltaram que as famílias possuem influência ou muita influência sobre suas vidas (66% no total). Uma menor parte dos entrevistados, porém, afirmou ter ampliado muito o relacionamento com suas famílias nos dois últimos anos (35% dos homens e 27% das mulheres). Parte deles (41% dos homens e 43% das mulheres) reforçaram que a importância da família diminuiu nos últimos anos.

Sobre a pesquisa 1902 da Bloomers

O levantamento 1902 é inspirado pelo filme “Uncle Josh at the moving picture show”, de Edwin Porter, um dos primeiros filmes da história do cinema, que estreou em fevereiro de 1902. A película traz um homem interagindo com três pequenas cenas exibidas em um projetor em um teatro de Vaudeville que motivaram a pesquisa ao redor de três temas centrais: o papel das mulheres e o olhar masculino sobre o feminino na sociedade; os impactos deixados com avanços da tecnologia em nossas vidas hoje e no futuro; e a função das relações familiares em um período de mudanças históricas, marcadamente a pandemia, a guerra e os recursos digitais.

“Nosso entendimento é o de que os três temas endereçados pelo filme se tornaram, desde sua primeira exibição, universais – e ainda um reflexo de tempos passados que se reproduzem no presente e influenciam o amanhã. O objetivo foi demonstrar como temas de ontem mantêm influência sobre o hoje e o futuro, e como as marcas podem direcionar suas vocações para a resolução de temas históricos que são críticos para o desenvolvimento da sociedade”, destaca Ivan Scarpelli, sócio-fundador e CEO da Bloomers.

Ivan destaca que, no filme, Uncle Josh tenta ocupar o papel de responsável pela família ao testemunhar sua filha ao lado de outro homem e pondera que essa atitude também traz uma reflexão a respeito dos papéis e as funções dos componentes familiares em uma sociedade em transformação. “Podemos perceber que passado e presente se confundem novamente aqui, com uma visão tradicional sobre os elementos que constituem uma família nuclear, com ênfase no entendimento dos homens sobre a constituição familiar e a importância desse elemento em suas vidas”, explica.

A pesquisa foi realizada com 470 pessoas entre 16 e 50 anos em todo o Brasil. A pesquisa possui 95% de confiança. Ao todo, foram realizadas dez questões distribuídas para os três temas. Além disso, também foram realizados questionamentos sobre o papel das marcas em relação a esses tópicos.

Share this Article