Como superar a perda de um ente querido

Melissa Cunha Souza
4 Min Read

A perda de um ente querido é uma experiência emocionalmente desafiadora que pode afetar muitos aspectos da vida de uma pessoa, incluindo sua saúde física. Quando essa perda é associada à obesidade, pode haver uma série de fatores interligados que influenciam a saúde e o bem-estar. Aqui estão algumas maneiras pelas quais a perda de um ente querido pode estar relacionada à obesidade:

Estresse emocional: A perda de um ente querido pode desencadear uma intensa resposta emocional, incluindo tristeza, ansiedade, raiva e até depressão. Esse estresse emocional pode desencadear o aumento da produção de cortisol, o hormônio do estresse, que por sua vez pode levar ao aumento do apetite e ao desejo por alimentos ricos em gordura e açúcar, contribuindo para o ganho de peso.

Comer emocional: Muitas vezes, as pessoas recorrem à comida como uma forma de lidar com emoções difíceis, como tristeza, solidão e angústia, em um fenômeno conhecido como comer emocional. A perda de um ente querido pode desencadear esse padrão de comportamento alimentar, levando a episódios de compulsão alimentar e consumo excessivo de calorias, o que pode contribuir para o ganho de peso e a obesidade.

Alterações no estilo de vida: A perda de um ente querido pode desencadear mudanças significativas no estilo de vida de uma pessoa, incluindo alterações na rotina diária, na atividade física e nos hábitos alimentares. Por exemplo, algumas pessoas podem se tornar mais sedentárias ou negligenciar a alimentação saudável enquanto estão lidando com o luto, o que pode contribuir para o ganho de peso.

Isolamento social: O luto muitas vezes leva as pessoas a se isolarem socialmente, seja por escolha própria ou devido ao estigma associado ao luto. O isolamento social pode levar à falta de suporte emocional e social, o que pode aumentar o risco de comer emocional e outros comportamentos alimentares não saudáveis.

Desregulação emocional: A perda de um ente querido pode desencadear uma série de emoções intensas e, às vezes, conflitantes, que podem ser difíceis de lidar. Isso pode levar à desregulação emocional, onde as pessoas têm dificuldade em regular suas emoções e recorrem a comportamentos compensatórios, como comer emocionalmente, como forma de lidar com seus sentimentos.

Em suma, a perda de um ente querido pode estar associada ao desenvolvimento ou agravamento da obesidade devido a uma variedade de fatores interligados, incluindo estresse emocional, comer emocional, mudanças no estilo de vida, isolamento social e desregulação emocional. É importante reconhecer essas conexões e buscar apoio emocional e recursos adequados para lidar com o luto de maneira saudável e promover hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis.

DRA. CAROLINA MANTELLI é médica, endocrinologista e metabologista e tem a missão de amenizar a dor física e da alma através do auto resgate.
Criadora do método “Calça Meta”, metodologia criada com o intuito de libertar seus pacientes de amarras de todos os traumas que envolvem o emagrecimento.

@dramantelli

Share this Article