Ton Prado fala sobre preparação para viver personagem inspirado no produtor Rick Bonadio em novo filme do Mamonas Assassinas

Luca Moreira
10 Min Read
Ton Prado (Albera)

Os Mamonas Assassinas marcaram uma geração e construíram uma legião de fãs que perpetuam seu legado. Ator, humorista e apresentador, Ton Prado fez parte dessa geração e agora se prepara para dar vida a história de uma das bandas mais amadas do país: ele será Rico, o Rick Bonadio do longa “Mamonas Assassinas – O Impossível Não Existe”. Posteriormente, irá para as telinhas da Record como “Mamonas Assassinas – A Série”, uma série com cenas inéditas. Além disso, Ton também estará em “Uma Advogada Brilhante”, ao lado de Leandro Hassum, Nany People e mais, mostrando sua versatilidade na comédia da Netflix. Rick Bonadio foi o responsável pela descoberta dos Mamonas Assassinas. Um dos maiores empresários do ramo musical que segue em evidência até hoje.

Como foi a experiência de interpretar Rick Bonadio, uma figura tão icônica na história dos Mamonas Assassinas?

O personagem Enrico é inspirado em Rick Bonadio, uma figura muito importante na história dos Mamonas, o personagem trás elementos especiais nas histórias entre estes jovens. Eu como fã da banda, claro que já conhecia toda a história de Rick Bonadio, com isso a felicidade em saber que iria dar vida a ele, foi enorme. Um personagem cheio de presença, força e expertise em comandar e costurar uma história de um grupo musical icônico.

Você mencionou que toda a sua juventude foi marcada pelos Mamonas Assassinas. Como foi revisitar essa época e dar vida a essa história no cinema?

Já pensou você, superfã da banda depois de 28 anos estar presente em uma superprodução contando a história dos seus ídolos? É isso que penso toda hora… Que incrível e prazeroso estar nesse projeto.  Reviver e revisitar uma época, também foi curar um vazio de uma criança fã que ficou sem seus ídolos da noite para o dia. E dar vida novamente para esta alegria explosiva que era os Mamonas, foi especial, ainda mais nos dias de hoje, onde cada vez mais precisamos desse humor, dessa leveza e da certeza de que quando mais vivemos nessa frequência, várias almas podem ser curadas.

Para retratar o Rick Bonadio, você teve que aprender boxe em pouco tempo. Como foi esse processo de preparação para o personagem?

Fiquei intensamente imersivo durante todo o mês de preparação de elenco com este personagem, e um dos desafios foi aprender boxe em apenas 2 dias, já que não havia tempo para parar e se dedicar às aulas pela falta de tempo. O negócio foi prestar muita atenção e ouvir o professor nos comandos de golpes e postura de um atleta de boxe, repetindo movimentos e praticando “sparring” sem parar. No final descobri que o boxe é um ótimo exercício inclusive para mim.

Ton Prado (Albera)

Além do filme “Mamonas Assassinas – O Impossível Não Existe”, você também estará na série sobre a banda. Pode nos adiantar um pouco sobre o que esperar dessa produção televisiva?

Se os fãs já amaram e se emocionaram em revisitar os anos 90 com o filme. Prepare-se, pois, a série irá trazer muito mais momentos e histórias desta banda amada pelos brasileiros. Gravamos simultaneamente o filme e a série, o que adianto são cenas inéditas, outros momentos da história e um jeito diferente de ser contada a história em 5 episódios para a televisão.

Em “Uma Advogada Brilhante”, você contracena com grandes nomes do humor brasileiro. Como foi trabalhar com esse elenco e o que podemos esperar do filme?

O convite veio da diretora Ale McHaddo, e contraceno com artistas incríveis do humor. Em minha participação Paulinho Serra, Bruno Garcia, Leandro Hassum e Renata Bras dividem uma cena divertidíssima comigo. Um elenco esperto, preparado e sagas com o roteiro, piadas e intenções, não teria como ser diferente o resultado, muito divertido. Para o público que adora comédia, o Leandro Hassum desta vez vem com um personagem feminino. Ou seja, não tem como perder.

Você atuou e produziu filmes independentes como “Wanderlust” e “Rage Pill”. Pode compartilhar um pouco sobre esses projetos e o que o público pode esperar?

Eu sou um ator que também produzo meus próprios trabalhos. Os filmes “Wanderlust” e “Rage Pill”, foi uma parceria com amigos cineastas, onde eles tiveram a ideia e abracei o projeto como ator e produtor. Os 2 filmes foram rodados fora do Brasil, um na Irlanda e outro na Bolívia. Para quem gosta de filmes denominados como cult, estilo Tarantino / Kubrick irá adorar e se identificar. Fugimos das linguagens popular de cinema que conhecemos no Brasil. Em breve serão lançados nas plataformas de streaming.

Ton Prado (Albera)

Além da carreira no cinema, você também está envolvido em projetos no streaming, como o podcast “No Tom”. Como é para você explorar diferentes plataformas de entretenimento?

Cada plataforma de entretenimento posso mergulhar num mundo participar e enorme ao mesmo tempo, o podcast “No Tom” tem o descompromissado de ser algo sério mesmo falando sobre assuntos sérios, ou até mesmo seguir padrões. Pelo ao contrário, lá falamos o que “dá na telha”, assuntos variados, mas sempre com humor, como se estivéssemos na mesa de um bar. Quando mais experimento essas diversidades mais expando com minha criatividade. Mas, não é fácil tocar todas esses projetos muitas vezes sozinhos, estou à procura de parceiros neste projeto.

Na sua carreira, você já teve experiências no teatro, televisão e agora cinema. Existe alguma dessas mídias que você prefira ou que represente um desafio particular para você como ator?

Eu amo o teatro, a adrenalina que o palco provoca, o silêncio da coxia, os 3 sinais antes de começar, o burburinho e o calor do público. Assim, como também estou cada dia mais enlouquecido de amores pelo cinema, que me faz ser desafiado em cada vírgula do texto, intenções nos olhares e tudo que rodeia essa arte. Acho que todas as possibilidades seja ela tv, cinema ou teatro trás desafios diferentes para o artista, e isso me provoca. (Adoro provocações gostosas).

Como é equilibrar o humor e a seriedade em seus papéis, especialmente em “Uma Advogada Brilhante”, onde você menciona que seu personagem brinca com o humor falando sério?

É um desafio incrível, falar sério provocando o riso. É claro que o roteiro e as falas do personagem ajudam muito neste lugar, e coloco junto essa pitada de seriedade com deboche nas palavras, faz com que o público sinta esse lugar incomum e desconfortável onde é provocado o riso. Amo fazer humor, tenho este lugar dentro do meu dia a dia, e novas formas de fazer essa arte de rir me encanta. Adoro assistir monstros do humor, eles me ensinam.

Quais são seus planos e projetos futuros na carreira artística? Há algum papel dos sonhos que você ainda espera interpretar?

Meus planos é de ser abençoado ainda mais na arte, na minha carreira sendo presenteado por novos e diversos trabalhos. Eu amo trabalhar! Isso me leva a planejar projetos futuros. Quanto ao papel dos sonhos, não tenho nada fixo em mente, mas adoro ser provocado a experimentar novos pensamentos, novos lugares que não são meus, isso me coloca em sonhos incríveis. E quem sabe interpretar mais algumas personalidades biográficas assim como foi em Mamonas.

Recentemente, o produtor Rick Bonadio chegou a viralizar com um vídeo sobre sua opinião em relação ao filme, inclusive criticando sobre a produção não seguir pela verdade sobre a história. Como está a sua opinião em relação a crítica dele?

Neste vídeo, ele só pontuou para seus fãs que não é a história verídica da carreira dele. Antes da estreia eu já havia comentado com a imprensa que nosso filme é uma ficção livremente baseada em histórias reais, ou seja, não seria um filme biográfico da história do meu personagem. Mas, a posição firme, dedicada e de amigo do produtor, também tem em Enrico.

Acompanhe Ton Prado no Instagram

TAGGED:
Share this Article