Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)

Ana Luísa Ramos explora as múltiplas faces do amor em ‘Solaris’, seu vibrante terceiro álbum

Luca Moreira
7 Min Read
Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)

Ana Luísa Ramos, uma voz conhecida por sua suavidade e profundidade emocional, apresenta “Solaris”, seu terceiro álbum solo, como uma celebração do amor em todas as suas manifestações. Lançado sob o selo The Citadel House, “Solaris” – que significa sol em latim – serve como uma metáfora para o amor, que Ana Luísa considera uma força guia e essencial na vida. Inspirada pelo nascimento de sua filha em 2022, a artista compôs as faixas do álbum enquanto navegava pela maternidade, traduzindo suas experiências em canções que exploram o amor romântico, o amor maternal, e o amor pelas pequenas alegrias da vida.

A produção do álbum reflete uma colaboração transnacional, com gravações entre Brasil e Estados Unidos e mixagem final no Canadá, sob a direção musical de Ana Luísa e Dean Stairs. Stairs elogia a capacidade vocal de Ana Luísa e suas composições emocionantes, destacando a inclusão de músicos excepcionais no projeto. Com arranjos de Daniel Bondaczuk e a percussão de Clovis Badari, “Solaris” promete ser uma experiência auditiva que convida à reflexão e conexão com os sentimentos mais puros.

Ao compartilhar “Solaris” com o mundo, Ana Luísa Ramos espera que os ouvintes encontrem conforto e alegria nas suas melodias e se conectem com a universalidade do amor. Com uma mistura de influências corais e arranjos que variam do meditativo ao alegre, o álbum é um convite para explorar o espectro emocional do amor sob o calor acolhedor do sol que dá nome ao trabalho.

Como você descreveria a essência do seu novo álbum “Solaris” e o que o torna único em relação aos seus trabalhos anteriores?

Acho que a essência do álbum tem a ver com as relações humanas, sobre o amor em suas diferentes formas, e como isso nos impacta e nos guia. Além disso, esse é o primeiro álbum em que todas as canções foram escritas por mim, então é bastante único!

O nascimento de sua filha influenciou de alguma forma o processo criativo e a temática abordada neste álbum?

Influenciou muito! No meu álbum anterior, “Amanheceu”, eu lancei quando estava grávida de 7 meses e, na época, minha ideia era dar uma pausa no primeiro ano de vida dela, mas esse primeiro ano foi muito inspirador. Por muitos meses ela dormia apenas no meu colo, e enquanto tinha ela nos braços não podia fazer mais nada, então parte das músicas foram escritas assim, enquanto ela dormia.

Pode nos contar mais sobre a escolha do nome “Solaris” para o álbum e como essa palavra reflete a mensagem que você deseja transmitir?

Solaris, latim para solar,  surgiu como um nome que traz essa força do sol, que nos guia e que é vital. E como no álbum falo um pouco sobre maternidade e latim sendo a língua mãe, achei que seria bastante simbólica a escolha.

Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)
Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)

Qual é a importância do amor em suas composições e como você busca transmitir essa essência por meio da música?

Para mim compor é algo que precisa ser muito sobre o que sinto e o que vejo, sobre minha visão de mundo e o amor, é algo vital pra nós, então pra mim acaba sendo como uma extensão de mim mesma falar sobre esse tema.

Como foi o processo de colaboração com o produtor Dean Stairs e a gravação do álbum em diferentes estúdios ao redor do mundo?

Esse é o terceiro álbum que trabalho com o Dean (o EP e o álbum do Ana & Eric foi ele quem produziu) então foi tudo muito fluido, muito natural. Ele respeita muito as minhas escolhas e abraça o projeto e trilha junto. Quando fui amadurecendo a ideia do álbum, eu já tinha claro quais instrumentos queria e quais pessoas eu gostaria que estivessem presentes, muitos são amigos meus de longa data, então foi um processo muito tranquilo.

Você mencionou a participação de músicos excepcionais no álbum. Como foi trabalhar com esses profissionais e de que forma eles contribuíram para a sonoridade do disco?

Eles contribuíram grandemente! São todos extremamente talentosos e pessoas incríveis de trabalhar, o que ajuda muito no processo. Foi tudo muito natural e tranquilo.

Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)
Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)

Quais são os sentimentos e emoções que você espera que o público experimente ao ouvir “Solaris”?

Acho que espero que a pessoa esteja mais feliz ao ouvir o álbum e que traga serenidade, plenitude, que elas possam refletir também sobre o que o amor representa em suas vidas.

Poderia nos falar um pouco sobre a importância dos arranjos musicais e da ambientação sonora neste álbum?

Os arranjos trouxeram unidade para o álbum, desde o começo, a ordem das músicas e quais seriam os singles, estavam bem claros, então isso também ajuda bastante a guiar na produção. E ter desde o começo esse norte, facilita muito o processo todo.

Como você vê a evolução da sua música ao longo dos anos e quais são suas ambições futuras como artista?

Acho que hoje eu me sinto muito segura de me mostrar como compositora, como sempre fui intérprete, era muito difícil para mim me permitir ser algo além de cantora, então quando tive coragem, um novo mundo se abriu. Eu quero tanta coisa! Mas para os próximos anos é fazer muito show e aos poucos trabalhar em música nova.

Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)
Ana Luísa Ramos (Sarah Kierstead)

Existe alguma mensagem específica que você gostaria de transmitir aos seus ouvintes por meio deste álbum?

Eu gosto muito de pensar na arte como algo transformador e, para mim, não tem nada mais revolucionário do que ser feliz nessa sociedade doente e em que sua infelicidade é mero combustível para o capitalismo, então espero que as pessoas se sintam mais felizes ao ouvir as músicas.

Acompanhe Ana Luísa Ramos no Instagram

Share this Article