Decisão judicial em Jataí permite Recuperação Judicial a produtor rural com dívidas de R$9 milhões

Luca Moreira
3 Min Read

Especialista Jessica Farias destaca importância da decisão  para o setor agrícola

Com uma decisão recente favorável a um produtor rural de Jataí, Goiás, a Recuperação Judicial surge como um recurso viável para produtores rurais em dificuldades financeiras. Jessica Farias, advogada especialista em Recuperação Judicial e administradora judicial, oferece insights valiosos, complementando as opiniões dos advogados Leandro Amaral e Heráclito Noé, do escritório Amaral e Melo Advogados.

Um produtor de Rio Verde, com propriedades em Jataí e dívidas totalizando R$9 milhões, obteve aprovação para sua Recuperação Judicial pela 1ª Vara Cível da Comarca de Jataí. Jessica Farias destaca a importância desta opção legal ao dizer que a  Recuperação Judicial é uma ferramenta para produtores rurais enfrentando crises de liquidez pois, de acordo com ela, permite uma reestruturação financeira, mantendo a continuidade das operações agrícolas, que são essenciais para a economia.

A Lei de Recuperação de Empresas e Falência (LREF) aplicável a empresas é também relevante para produtores rurais. Conforme explica Farias, a Recuperação Judicial protege o patrimônio do produtor, evitando a necessidade de liquidar bens essenciais como imóveis rurais e maquinários. “É um recurso vital para manter a produção e reestruturar dívidas sob condições mais favoráveis”, ela enfatiza.

Após a decisão de processamento da Recuperação Judicial, é estabelecido um “stay period” de 180 dias, durante o qual todos os processos judiciais contra o produtor são suspensos. Segundo a especialista, o  período é crucial para a elaboração de um plano de reestruturação financeira, que será apresentado aos credores. “É uma janela de oportunidade para reorganizar as finanças sem a pressão de execuções judiciais iminentes”” finalizou. 

 De acordo com Jessica Farias, os fatores de endividamento no agronegócio são complexos e variados. “Problemas climáticos, altos custos de investimentos a médio e longo prazo, e mudanças no mercado podem rapidamente desestabilizar as finanças de um produtor rural”, diz ela.

As recentes mudanças legislativas, reconhecendo a natureza declaratória do registro mercantil, simplificaram o acesso à Recuperação Judicial para produtores rurais. Farias considera essas mudanças um passo positivo, mas ressalta que ainda há desafios na aplicação prática da lei.

Share this Article