“Canto das Ditas” celebra força e história das mulheres de Cidade Tiradentes

Melissa Cunha Souza
5 Min Read

Espetáculo teatral faz parte da agenda da “Mostra das Ditas: Corpo-Repertório- Cotidiano e Resgate”, oferecendo reflexões sobre ancestralidade na periferia da zona leste de São Paulo. Completamente gratuita, a agenda, programada para o próximo dia 25 de maio, celebra ainda os 17 anos de existência e resistência do grupo Filhas da Dita

O CEU Inácio Monteiro será palco, no dia 25 de maio, de uma reverência às mulheres que construíram e moldaram o bairro de Cidade Tiradentes. O espetáculo “Canto das Ditas – Fragmentos Afrografados de Cidade Tiradentes”, das Filhas da Dita, promete uma noite de celebração, reflexão e conexão com a ancestralidade.

Com direção e dramaturgia de Antonia Mattos e em parceria com a Secretaria de Cultura de São Paulo, “Canto das Ditas” chega para saudar mulheres negras que foram fundamentais na história e na formação do bairro. Concebido e realizado por mulheres, o espetáculo é uma homenagem para todas – avós, mães, tias, irmãs, primas, vizinhas e amigas.

“Se não contarmos nossa própria história, vem alguém e conta tudo errado. Deixa, então, com a gente que nasceu e cresceu aqui – do extremo da zona leste, produzindo vários saberes”, comenta a atriz Luara Iracema.

A proposta do projeto é mergulhar nas histórias e vivências, evocando as ancestralidades sagradas e celebrando o poder feminino. Por meio de gestos, música, canto e narrativas, traz à tona milênios de existência, cruzando a força ancestral de Orixás femininas com a construção histórica de Cidade Tiradentes por mulheres negras.

A apresentação abre os caminhos da Mostra das Ditas, que abrange uma série de eventos para o compartilhamento do trabalho e da pesquisa do Coletivo Filhas da Dita, por meio de exibição de repertório, trocas e práticas em diálogo com o território do projeto, trazendo figuras importantíssimas como a Dra. Leda Maria Martins, Salloma Salomão e Hilton Cobra. Entre os objetivos está a contribuição para a garantia do direito à cultura para pessoas moradoras de Cidade Tiradentes – que completa 40 anos de existência em 2024. Projeto é realizado com apoio da 8ª edição do Fomento à Periferia.

“A Lei de Fomento às Periferias é fruto de uma mobilização popular organizada para democratizar o acesso, o recurso e fazer o dinheiro de fato chegar nas pontas, nas bordas, chegar nas mãos de quem produz a cultura periférica da Cidade de São Paulo”.

Em “Canto das Ditas”, a música desempenha um papel fundamental na encenação, representando a voz e o canto dessas mulheres em um cenário que oscila entre o ritual e o urbano contemporâneo. Além de celebrar o passado, busca fortalecer o presente e, ainda, vislumbrar o futuro. Por meio de elementos e saberes ancestrais, propõe uma reflexão sobre o papel da mulher nas periferias e sua capacidade de resiliência e transformação.

Para as integrantes do grupo Filhas da Dita, responsáveis pela produção do espetáculo, ocupar os palcos dos equipamentos públicos de Cidade Tiradentes é uma forma de reivindicar o acesso à cultura e às artes para a população local.

“Esse projeto é sobre resgate, autoestima e empoderamento de nós mesmas e da nossa trajetória. Pra gente que não é norma é difícil se sentir bonita, inteligente e cheia de babado para compartilhar. São 17 anos de gente preta, travesti, indigena e LGBT que insiste em fazer cultura na e para a quebrada”, finaliza a atriz Lua Lucas.

SERVIÇO

“Canto das Ditas – Fragmentos Afrografados de Cidade Tiradentes” Data: 25 de maio de 2024

Horário: 19h

Local: CEU Inácio Monteiro (Rua Barão Barroso do Amazonas, s/n)

Entrada gratuita

Direção e Dramaturgia: Antonia Mattos

Produção: Angelus Manuel

Elenco: Ellen ZL, Lua Lucas, Luara Iracema, Thábata Wbalojá, Cláudio Pavão

Direção musical: Jonathan Silva

Concepção de luz: Antonia Mattos e Fernando Alves

Técnica de Luz: Lu Silva Cenário e figurino: Eliseu Weide Contrarregra: Canafístula Social Media: Fel Lara

Comunicação: Assessoria Bianco

Share this Article