No cenário vibrante da música brasileira, nasce uma nova estrela que promete encantar com sua mistura de sonho e ousadia. Conhecida por suas diversas metamorfoses artísticas, SIRENA, nome artístico de uma talentosa cantora e compositora carioca, emerge das profundezas do Grajaú, zona norte do Rio de Janeiro, para revelar seu novo projeto ao mundo. Inspirada desde jovem pelo reggaeton e pela mitologia das sereias, ela encontrou na música a expressão perfeita para suas letras em espanhol e português.

O primeiro single de SIRENA, intitulado “La Sirena”, será lançado em uma data auspiciosa: seu aniversário, 05 de junho. Para ela, esta data não é apenas simbólica, mas marca o início de uma nova era em sua vida e carreira. A faixa, composta após um insight criativo, combina melodias cativantes com uma produção que preserva a voz original capturada no momento da inspiração, adicionando um toque de autenticidade ao seu trabalho.

Em “La Sirena”, SIRENA explora sua fascinação pelo ser mitológico das lendas marítimas, simbolizando mistério, sedução e o poder feminino contra os desafios da vida. Dirigido por Rafa Costakent e Pepe Costakent, o videoclipe envolve a artista em uma atmosfera de luzes baixas e cores intensas na praia, personificando a aura sedutora e mística que ela busca transmitir.

Produzido por Ariel Donato e com a colaboração de Feyjão e Júlio Araújo, “La Sirena” representa não apenas um marco na carreira de SIRENA, mas também a promessa de um álbum completo que promete conquistar o mundo com sua fusão única de ritmos e letras envolventes. Com um time dos sonhos por trás do projeto, a artista se prepara para levar o perreo do reggaeton a novos patamares, mostrando ao público sua versatilidade e paixão pela música.

SIRENA, você teve várias identidades artísticas antes de encontrar seu verdadeiro estilo. Pode nos contar mais sobre essa jornada e como ela moldou quem você é hoje como artista?

Já fiz faculdade de Turismo, Nutrição, Educação Física… Já trabalhei em loja, academia… Acho que tudo o que vivi me preparou para agora. Nada acontece por acaso, e sou grata por todas as minhas versões. Mas hoje, me sinto cada vez mais completa. A música sempre foi o meu maior sonho e propósito. Fazer isso acontecer é lindo demais!

O reggaeton é um gênero que você ouve desde pequena. O que mais te atraiu nesse estilo musical e como ele influencia sua música e composição?

Eu sou apaixonada! É um estilo com o qual sempre me conectei… Sinto que posso ser eu mesma… É difícil explicar. É dançante, envolvente, divertido. Posso falar de amor, de sofrência, de empoderamento… Me sinto livre para explorar toda a minha criatividade.

Seu primeiro single, “La Sirena”, combina elementos de sonho, superstição, mitologia e sensualidade. O que inspirou essa mistura e como ela se reflete na música e no clipe?

Queria fazer uma música sobre o ser mitológico “sereia”. É um arquétipo com o qual me identifico desde pequena… A sereia é pura magia, sensualidade e força. Quis marcar o começo da minha carreira contando um pouquinho dessa história porque faz parte de quem eu sou. Tudo na música foi pensado para passar essa vibe, e gravamos o clipe na praia, ao entardecer/noite, para criar mais mistério. Estou completamente apaixonada por tudo o que fizemos!

SIRENA (Julia Bandeira)
SIRENA (Julia Bandeira)

Você mencionou que a faixa “La Sirena” foi composta após um insight e que a gravação inicial feita no celular foi mantida na produção final. Pode nos contar mais sobre esse processo e o motivo dessa decisão?

No momento da composição, eu estava imersa na música e em tudo o que gostaria de transmitir com ela. A decisão de manter a voz original veio daí… da interpretação e da vibe que consegui atingir naquele momento. Tenho um time que trabalha comigo e todos concordamos em manter. Eu achei irado!

O clipe de “La Sirena” dirigido por Rafa Costakent e Pepe Costakent é visualmente impactante. Qual foi a visão por trás da produção do clipe e como ela complementa a mensagem da música?

Tive a ideia de gravarmos o clipe numa praia à noite com luz vermelha. Passei isso para os diretores, e eles conseguiram levar minha ideia para outro nível! Ficou impactante porque todos que trabalharam nesse clipe são muito talentosos. A coreografia, a maquiagem, o figurino, os takes… tudo casou perfeitamente. Eu amei tanto o resultado que, para mim, a música e o clipe são uma coisa só.

A colaboração com Ariel Donato, Feyjão e Júlio Araújo na produção de “La Sirena” parece ser um verdadeiro trabalho em equipe. Como foi trabalhar com esses profissionais e como cada um contribuiu para o projeto?

Sou muito privilegiada de ter um time tão incrível ao meu lado. Ninguém faz nada sozinho. Júlio Araújo, meu talentoso companheiro de composição, conseguiu absorver tudo o que eu queria transmitir na música e escrever junto comigo. FEYJÃO é meu irmão de coração e diretor musical do disco; sem ele, nada disso estaria acontecendo. Ariel Donato, meu amigo e produtor incrível, entende tudo o que queremos e faz a magia acontecer de forma impecável. A música só é assim porque criamos juntos!

SIRENA (Julia Bandeira)
SIRENA (Julia Bandeira)

Você canta em português e espanhol no reggaeton, o que é relativamente raro para artistas brasileiros. Como você se sente ao trazer essa combinação de idiomas para o gênero e como isso impacta sua composição?

Tudo o que faço, faço porque é a minha verdade. A intenção é mostrar minha personalidade para vocês. Sempre amei o espanhol e sou apaixonada por cantar nesse idioma. Também gosto de explorar a combinação com o português, que é uma língua rica e muito linda. Todas as minhas composições foram feitas organicamente…, mas, como assim? Às vezes, começo a compor uma música em português… em outros momentos, a música já vem em espanhol. Tudo é natural. O Brasil é um país latino. Acho lindo unirmos as nossas forças.

Você falou sobre a importância de cada mulher se sentir representada na sua música. Pode nos explicar como você busca transmitir essa mensagem de empoderamento feminino através das suas letras e performances?

Gosto de me sentir livre para explorar 100% de quem sou. Nós sempre fomos muito podadas pela sociedade. E ali, quando estou me jogando, me divertindo, valorizando toda a força da mulher que sou, gostaria muito que outras mulheres pudessem enxergar essa potência nelas também. Porque somos potentes.

Com o lançamento de “La Sirena”, você marca o início de uma nova era em sua carreira. Quais são seus próximos passos e o que os fãs podem esperar do seu disco previsto para este ano?

Meus fãs podem esperar muito “bafafá” este ano. Vamos ter alguns singles em breve e o lançamento do disco completo também! Preparei tudo com muito carinho e estou achando tudo lindo! Estou muito feliz!

SIRENA (Julia Bandeira)
SIRENA (Julia Bandeira)

Você descreveu o início da sua carreira como uma loucura, mas cheia de felicidade. Quais foram os maiores desafios que você enfrentou até agora e o que você mais espera alcançar no futuro?

Com certeza, o maior desafio tem sido eu mesma. Já me autossabotei muito. Nossa mente pode se tornar nosso pior inimigo. Quando aprendemos a lidar com ela, nada pode nos parar. Espero que no futuro eu esteja cada vez mais confiante, corajosa e forte. Espero que todos estejamos assim. Não há limites para quem sonha com verdade. Meu futuro será lindo porque meu presente já é. Sou grata por tudo.

Acompanhe SIRENA no Instagram

Share.