Nat Guareschi, recentemente anunciada como uma das apresentadoras regulares do Podcast Amplifica nos Estúdios Flow, marca uma nova fase para o canal de música. Esta adição estratégica aconteceu durante a expansão dos Estúdios Flow para se tornarem um grupo, ampliando sua atuação para além da informação, entretenimento e tecnologia.

Seu envolvimento com o Amplifica começou em julho de 2022, quando foi convidada como entrevistada, até então sob a liderança exclusiva de Rafael Bittencourt, um dos fundadores da banda Angra. Em março de 2023, Nat recebeu um novo convite para ser a anfitriã da semana em comemoração ao Dia das Mulheres, marcando sua estreia como apresentadora. Enfrentando o receio inicial, Nat abraçou a responsabilidade de conduzir um dos principais podcasts de música no Brasil, substituindo Rafael Bittencourt.

O Amplifica é um espaço musical para diálogos enriquecedores sobre o mundo da música. Com uma programação semanal diversificada, o canal busca amplificar a informação sobre o universo musical, explorando várias cenas e perspectivas. Atualmente, o podcast é uma referência líder em conteúdo musical na internet, acumulando mais de 55 milhões de visualizações apenas no YouTube.

Nat destaca o valor de poder ser autêntica ao longo dessa jornada com o Amplifica. Sentindo-se acolhida, ela foi escolhida pelo que é. Desde que mergulhou nessa nova experiência, Nat entrevistou uma variedade de personalidades, cobriu o Festival João Rock, participou do especial ‘Amplifica na Praia’ e colaborou em ações como a parceria com a Universal Music no The Town, além de outros projetos e aprendizados significativos. Em breve, anunciará seu próprio programa.

Influenciada pela música simples do interior paulistano e pela moderna MPB da metrópole, Nat Guareschi oferece ao público brasileiro uma abordagem única para ouvir música. Além de cantora e compositora, ela é atriz, colecionadora de bonés e ex-jogadora de futebol, com um repertório que ultrapassa 80 composições autorais, superando até mesmo os gols que marcou enquanto jogava futebol. Suas canções, permeadas por uma voz suave e bem-humorada, são acompanhadas por habilidosos arranjos no violão, destacando seu talento em tocar não apenas instrumentos, mas os corações daqueles que a ouvem contar suas histórias.

Como foi a transição de ser entrevistada para se tornar a apresentadora fixa do Podcast Amplifica? Quais foram os desafios e as surpresas ao assumir esse papel?

Foi um desafio gostoso de encarar. Ainda estou aprendendo o que de fato significa esse papel, mas estou amando descobrir a cada episódio o que significa ser uma host. É um lugar que carrega muita responsabilidade!

Você mencionou que se sentiu acolhida pela equipe do Amplifica desde o início. Como foi a dinâmica de trabalho com eles e como essa parceria contribuiu para o seu crescimento no cenário musical?

A equipe, na minha opinião, é a parte mais importante. É quem não aparece na frente das câmeras, mas é quem de fato faz o programa acontecer. Fui muito bem acolhida por todos desde o início que me deram liberdade e encorajamento para eu ser quem sou na frente das câmeras. Demorei para aprender a ficar em locais onde sou rodeada por pessoas que fica muito fácil de eu me amar. E a equipe do Amplifica me faz sentir assim, em casa.

Na sua experiência como host do Amplifica, houve algum episódio ou entrevista que se destacou para você? Pode compartilhar um momento memorável?

Cada episódio é um aprendizado para mim. Até hoje, todas as pessoas que passaram por ali me ensinaram algo diferente. Me toca muito quando o convidado ou convidada se sente confortável para falar sobre coisas que nunca disse antes. O episódio com a Talita Cipriano foi um que me marcou bastante… ela se abriu, contou coisas pessoais, cantou, riu, passamos trotes, falamos sobre coisas rasas e profundas. Lembro que no dia do episódio ao vivo não tínhamos muitas pessoas acompanhando. Um mês depois comecei a ver trechos do episódio espalhados por várias plataformas. Esses trechos ultrapassaram três milhões de views e ainda seguem voando pelo mundo. Esse crescimento é algo muito especial de acompanhar!

O Amplifica aborda uma variedade de temas musicais. Como você vê o papel do programa em amplificar diferentes cenas e perspectivas no cenário da música?

Acho o Amplifica necessário. Quando o Rafa Bittencourt criou o Amplifica a ideia dele era justamente sair do papel de guitarrista de uma banda famosa para um lugar onde ele conseguisse falar de música de outras formas, de uma forma mais informal, mais descontraída. Além disso, a ideia inicial é ampliar o cenário. Mostrar artistas, a arte por trás desses artistas e as pessoas por trás dessas artes. Acredito que o papel do Amplifica é muito valioso dentro do cenário musical e traz muita força para a pluralidade musical do Brasil.

Como compositora e artista, como a sua participação no Amplifica influenciou ou enriqueceu a sua abordagem à música e à indústria musical?

Como compositora e artista sinto que ganhei muito aceitando essa missão de host. Poder me conectar com outros artistas em uma conversa longa e sem pressão contribui demais para minha carreira como compositora e pra Nathalia pessoa física também. Cheguei a mostrar em alguns episódios várias composições que nunca tinha antes dividido com o mundo. E o acolhimento que recebi foi muito especial para mim!

Nat Guareschi (Fael Gregório)

Você mencionou a cobertura do Festival João Rock e o especial ‘Amplifica na Praia’. Como foi estar envolvida em eventos como esses e qual é a importância deles para a promoção da música?

Os festivais são superimportantes para a cena musical brasileira e a cobertura desses festivais é tão importante quanto. Foi uma experiência única poder participar tanto do João Rock como do De Férias com o Amplifica. O João Rock nos trouxe oportunidade de mostrar o festival como um todo e ainda trocar uma ideia com os artistas antes e depois de subirem ao palco. O De Férias com o Amplifica trouxe a nostalgia da antiga MTV que é esse misto de música com diversão. Nossa meta é fazer mais projetos como esse!

Além de ser host do Amplifica, você está envolvida em outros projetos, incluindo um programa próprio. Pode nos dar um vislumbre desse novo projeto?

Estamos produzindo um programa para mim. É até estranho falar isso em voz alta, acho que nunca, nem nos meus melhores sonhos, imaginei que teria um programa próprio. Esse programa vai falar de música de forma descontraída, do meu jeitinho. O que posso dizer por enquanto é que teremos game show, música, quadros divertidos, convidados e muita bagunça!

Como você acha que a sua presença, enquanto mulher, contribui para a diversidade e representatividade no cenário musical, especialmente no âmbito do rock?

Quando o Rafa me convidou para ser Host do Amplifica ele disse que queria muito que essa Host fosse uma mulher, que fosse de outra cena que não fosse o rock, que conhecesse o universo musical como um todo e que tivesse uma conexão com ele e com a equipe. Nunca na vida eu conquistei um lugar por ser mulher, rs. Ao contrário, como mulher a gente sempre acaba demorando mais para conquistar um espaço. Fiquei muito feliz por ele pensar dessa forma. Acho superimportante mulheres ocuparem espaços que muito tempo nos foi negado. O público do rock me acolheu muito bem! Obviamente o Amplifica tem os lovers e os haters e ambos são bem-vindos, até porque o Amplifica é um lugar livre para a música acontecer fora da caixinha.

O Amplifica é conhecido por não ter filtros, mostrando a verdade nos bastidores da música. Como você acha que essa abordagem mais autêntica impacta os ouvintes e a percepção da indústria musical?

Eu acho isso maravilhoso! Normalmente nas redes sociais a maior parte das pessoas tende a postar um recorte da vida real e esse recorte muitas vezes acaba bem descolado da realidade. No Amplifica nós temos duas cadeiras, dois mics, instrumentos e quando a câmera dá play no REC a gente só precisa continuar acontecendo como somos. E isso, de ser quem a gente é, sem a pressão de ter que mostrar algo perfeito é maravilhoso. É como estar no quintal de casa fazendo um som com amigos e conversando nos intervalos de cada música. Acho que os lovers do canal amam esse formato justamente por mostrar o que não se costuma mostrar por aí: a verdade.

Como você vê o futuro do Podcast Amplifica e quais são as suas expectativas e planos para o programa?

O Amplifica na minha opinião está voando, cada vez mais alto. Temos em construção muitos quadros novos, muitas coberturas de festivais, muitas externas e uma equipe super engajada e apaixonada por música fazendo o Amplifica acontecer diariamente. Meu plano é continuar nesse ritmo, com o coração pulsando muito forte por esse projeto e cheia de vontade de fazer mais e mais!

Acompanhe Nat Guareschi no Instagram

Share.